lunes, 26 de abril de 2010

NUEVO EDIFICIO DOCENTE ESTARA CULMINADO EN EL MES DE JUNIO



Un nuevo edificio docente abrirá sus puertas en el mes de junio como parte de el amplio proceso de inversión que desarrolla la Universidad politécnica y artística del Paraguay. UPAP y que incluye 9 edificios mas en distintos campus universitarios del paraguay.

El nuevo edificio que contará con 15 nuevas y confortables salas de clases, laboratorios y bibliotecas forma parte de la estrategia de la Universidad para adecuarse a los requisitos de calidad del MERCOSUR para el desarrollo de procesos educativos de grado y de postgrado.

Quem quer me ajudar?



*Cláudio Santos Réche
Noite sem dormir, aflição no peito já dolorido por alguns problemas que não têm como nos deixar, por isso temos que aprender a conviver com eles, isso passa a ser uma necessidade, pois se trata de questão relacionada à ordem natural das coisas ou o curso normal da vida, mas que infelizmente nunca estamos preparados e sim convivemos com a esperança de superar no momento que acontecer.
Superar adversidades... Esse é um dos maiores desafios que temos na tão conturbada sociedade em que vivemos, onde vemos a insegurança social, política e jurídicas instaladas, sendo esta última com alguns sinais de reação.
Como fazer diante de situações que tocam profundamente nosso coração, mas sua racionalização esbarra em entraves que não dependem de você e percebe pessoas sofrendo ao seu redor, pedindo socorro e você, de sua posição cômoda, escuta, tenta e nada consegue. E se importa? Sim, claro! Mas é muito cômodo se indignar e ficar parado “esperando a morte chegar”, como dizia o “maluco beleza”, mais sensacional que já tivemos, nosso Raul Seixas.
Sim, o que fazer? Espero de mim uma resposta que vem num turbilhão de possibilidades e acabo me perdendo na louca e desesperada tentativa de ajudar. Pensa que ajudar é fácil? Não, pois não basta somente desejar. Desejar e agir ajuda muito... Mas sempre precisamos de mais pessoas e aí é que encontramos nossos maiores problemas. Morosidades aqui, insensibilidades dali, mas não desanimamos quando temos pessoas lindas e puras de coração que querem ajudar, mas sozinhas também não conseguem, pois por mais que nos unamos na convergência do ideal, paramos sempre em uma barreira, em um prazo, em um relatório, em pessoas que agilizam pra te tomar e depois agem como se nada tivessem com a devolução de seu bem, muitas vezes os mais preciosos que possuímos. Sou humano e a falibilidade é uma característica inerente a mim como aos demais colegas, apesar de ser difícil para alguns admitir essa característica, mas temos que perseverar... Temos lutar por um bem maior que nossas rugas e nossos reclames, que se comparados a outros, sentiremos uma vergonha sem tamanho, pois perceberemos que o mundo vai além dos nossos umbigos.

A fraternidade não é para ser exigida, e sim para ser habitualmente praticada, pois é exatamente uma das características que temos visto muitos animais “irracionais” agindo por instinto e nós nos afastando dela. Precisamos sair do belo discurso. Precisamos arregaçar as mangas e dizermos uns para os outros: - Ei somos irmãos! Vamos fazer um mutirão e ajudarmos aqueles que atualmente precisam mais do que nós nesse momento da vida?

Não desejo que isso seja interpretado como um “vamos ajudar agora para sermos ajudados depois”! Não é essa a intenção, apesar de saber que quem ajuda ao próximo de coração aberto recebe muito mais do que doa, mas não na materialidade das coisas e muito menos no somatório de pontos para quando chegar o dia de seu encantamento, morte, falecimento ou desencarne, possa mostrar o seu saldo credor àquele que dizem estar na porta dos céus à espera de sua contabilidade.

Vamos crer no hoje, no presente, que é um dos nossos maiores presentes e vamos fazer dele um motivo de orgulho pra nós, não pelo que fazemos, mas pela nossa não omissão a tantas necessidades de nossos irmãos.

Com meu carinho, espero-os para o grande mutirão!

* Cláudio Santos Réche, Mestrante pela UPAP - Universidad Politécnica y Artística del Paraguay é professor da Faculdade de Direito, da UNIC Primavera.
Fonte: Decom/UNIC

Mestrante- UPAP com sucesso


O Ponto de Cultura Etnocultural de Barra do Bugres foi lançado oficialmente no último sábado (17.04), com a presença do governador Sinval Barbosa, secretário de Estado de Cultura, Oscemário Daltro e o prefeito Wilson Francelino de Oliveira, entre outras autoridades presentes na Praça Ângelo Masson.

A programação contou com apresentações artísticas de capoeira, hip hop e siriri e uma exposição de artesanato local. Integrantes de nove quilombos participaram com violas-de-cocho, toalhas de crochê, adereços femininos e objetos de decoração em madeira. Durante todo o dia foram ministradas, também na Praça, oficinas de tear tradicional e penteados afro. Segundo a coordenadora do projeto, a Mestrante pela UPAP - Universidad Politécnica y Artística del Paraguay Luciana Magalhães de França, o objetivo deste Ponto de Cultura é desenvolver atividades que vislumbrem resgate, revitalização e preservação das raízes com autonomia cultural atendendo sobretudo jovens de bairros periféricos em situação de vulnerabilidade social”.

MESTRANTES UPAP


MESTRANTES UPAP